Sobre ruídos e melodias

Eu adoro redes sociais. Acho que as redes sociais são a nova ágora. Nela rimos, brigamos, choramos, enfim, vivemos a aventura humana de maneira coletiva. E eu provo meu ponto com um simples experimento.

Já experimentou assistir TV pelo twitter? Seja a final de um programa de televisão (GOT por exemplo), um jogo importante (da seleção brasileira), uma tragédia ao vivo (lembram da catedral francesa queimando ao vivo?), as coisas adquirem outro tom quando compartilhadas.

No entanto as redes sociais também provocaram um triste fenômeno: a hiperbolização da vida (faço aqui clara referência ao podcast Tecnocracia). Ou seja, tudo acaba adquirindo um tom exagerado.

Já disse em sala de aula: quando vocês dizem que eu sou o máximo, na verdade querem dizer que eu sou ok, nada além disso (claro que tem quem acredite nos elogios da internet e viva por eles, mas isso é outra história).

E o fato é que esta característica das redes sociais aliada à velocidade e pouco espaço (twitter tem 240 caracteres, instagram também tem pouco espaço e facebook não me interessa) fazem com que as redes sociais não sejam espaço de reflexão e debate.

As redes sociais são espaço profundo para ruído, para brigas e confusões. Some-se a isso as polarizações atuais e tem-se o cenário perfeito para desinformação e guerra de narrativas.

Tenho pensado muito sobre isso e o fato é que precisamos separar o ruído da melodia. Ruído é o que temos hoje em geral: a impossibilidade de discussão de temas sem guerras narrativas ou falsificações. Melodia por outro lado é a concatenação de informações e o raciocínio crítico.

Diante deste quadro eu tenho me preocupado muito. Acho que nós professores e intelectuais temos uma importante função e não podemos nos demitir dela. Pensei então nas minhas alternativas.

De um lado pensei em fazer um podcast. Acho demais a ideia do podcast e sou entusiasta de podcasts. Há excelentes que acompanho. No entanto o podcast não me daria o que preciso: aliar velocidade e ao mesmo tempo reflexão. Este raciocínio também se aplica ao canal do youtube.

Então pensei: porque não reativar o Blog?

E foi isso que amadureci ao longo destes meses e hoje tomei a decisão. A partir de agora quero publicar um texto reflexivo e crítico sobre temas do momento. O texto me permitirá refletir e, ao mesmo tempo, ser ágil. Forçará também a leitura (para quem quiser me acompanhar nesta viagem).

Desta forma minha proposta é a de publicar ao menos um texto por semana. Prometo continuar a ser técnico e crítico mostrando os diversos lados da questão. Conto com vocês amigos.

Pretendo superar esta fase de discussões estéreis na internet e avançar para algo mais produtivo, separando o ruído e em busca da melodia perfeita.

 

 

 

Autor: guimadeira

Sou um cara de fé que acredita em sonhos. Fã incondicional de Shakespeare, Paulo Coelho e de Gabriel Garcia Marques, também adoro Neil Gaiman e Steven Spielberg. Ah, também tenho vários livros publicados, sou mestre e doutor em processo penal pela USP e Juiz de Direito. Corredor amador.

Uma consideração sobre “Sobre ruídos e melodias”

  1. Bom dia! Não tenho o hábito de fazer comentários em redes sociais, no entanto, sinto-me na obrigação de fazer um pequeno comentário: Nunca havia pensado neste assunto, desta forma, muito interessante este ponto de vista. Agradeço a clareza e adoro seus comentários e seus twitters! Obrigada por ajudar a abrir minha mente um pouquinho mais.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s