OAB 2010

Pessoal,
amanhã devo gravar os comentários sobre a prova feita neste domingo último e imagino que logo estejam disponíveis no site do LFG (www.lfg.com.br) para fins de recursos.
Adianto que, em princípio, como comentou o Flávio no LFG comenta, podemos questionar uma de processo penal e darei maiores detalhes amanhã.
Boa sorte a todos e nos vemos na segunda fase.
Ah, se você fez 50 pontos e anularem alguma, fique tranquilo. Isto não o afeta em nada.

Anúncios

Finais de ano

Tenho que confessar que eu adoro finais de ano, e por vários motivos.

No final de ano somos forçados a reavaliar a experiência do ano todo e, da mesma forma, fazer planos para o novo ciclo que se inicia. Tambérm eu farei aqui breve análise de ambos.

Este foi um ano, como diria, peculiar. No âmbito pessoal, mais pareceu uma montanha russa do que qualquer outra coisa. Nova separação e novo casamento acabaram por causar algum tumulto e cicatrizes (casualities of war é uma expressão horrorosa, mas hoje a entendo em sua plenitude. Sinto muito, de todo o coração, ok?).

Mas, também, foi o ano do reencontro. E que reencontro… Posso dizer também que a separação foi muito importante por um detalhe: o reencontro. Hoje meu casamento está como nunca esteve, e a cumplicidade e o amor só fazem crescer. Paula, que 2010 seja tão fantástico para nós quanto foi 2009.

No âmbito profissional, 2009 foi um ano de trabalho duro, muito duro. Lancei um livro e uma atualização (Elementos de Processo Penal de Frederico Marques), sem contar em inúmeras aulas e inúmeros desafios.

Devo confessar que já estou cansado, mas não por 2009 e, sim, por 2010. É que em 2010 começo meu doutorado e o tempo ficará cada vez mais curto. Que Deus me dê forças para conseguir manter o prato girando.

Mas, de tudo, de tudo mesmo, o mais fantástico de finais de ano é como eles renovam a esperança em nosso coração e nos permitem renascer, despindo-nos de tudo aquilo o que não gostamos em nós.

Sim, o ano novo é mágico pois reacende a esperança de que sempre é possível recomeçar, estejamos em qual círculo do inferno que for, o recomeço é sempre possível.

Da mesma forma, é no ano novo que os pecados são perdoados e que também perdoamos a quem nos tenha ofendido. Desde já, registro a todos que nossas contas estão fechadas e nosso saldo é zero! Comecemos 2010 com o saldo zerado e novas e plenas possibilidades se abrirão.

Para os amigos, o saldo é sempre positivo e o limite de crédito ilimitado, ou quase…

Beijos e abraços a todos e, como sempre digo, força e fé, amor pro que der e vier, valeu. Que 2010 nos leve para mares interessantes e que a jornada nos permita sempre manter o coração quente e a espada afiada.

PS – Fica aqui um vídeo emocionante sobre superação e renascimento:

http://www.youtube.com/watch?v=9vjk9jAfihk

Mais respostas

Pessoal,

vamos às respostas a mais perguntas que foram feitas.

Risquei palavras na peça e/ou nas respostas: a tendência aqui é que vocêe perca pontos por estética, mas não devem anular a sua prova não.

Endereçamento da peça apenas como 9 Vara Criminal de Planaltina: não deve ter problemas não.

Faltou colocar adv e termos em que pede deferimento: é possível que perca algum ponto na estética, mas não zera não.

Colocou coisas fora do espaço: aqui eu sinto dizer mas os corretores nem veem. Eles recebem a prova escaneada e, portanto, só vai o que estiver no espaço reservado.

Não abri o tópico “Da nulidade”: fique tranquilo, pois não precisa. Basta que tenha citado dentro da parte do direito.

Desculpas, mais respostas e orientação

Pessoal,

Primeiro peço desculpas por não conseguir responder a todos, basta que vocês imaginem que somente entre domingo depois da prova e hoje recebi algo em torno de 800 comentários no Blog sobre a prova. Então, fica difícil conseguir responder de maneira individualizada. Tento agrupar as angústias em temas genéricos e, assim, ser mais eficaz.

Quanto à orientação (as respostas vem por último, rs), são duas na verdade.

Em primeiro lugar, vocês devem tentar ficar tranquilos. Esta é a pior fase, pois não depende mais nada de vocês ou mesmo da gente. E quando a coisa não está nas nossas mãos, a cabeça começa a surtar. Fico feliz por ver que a grande fonte de stress de quase todos não é nada que, em princípio, gere anulação da prova ou mesmo um zero. Graças ao bom Deus. Cuidado com aqueles diabinhos que teimam em aparecer nesta hora nos levando para baixo (alguns são imaginários outros, os piores, são reais). Olhe para o seu ombro direito e eu estarei lá junto com você dando risada destes panacas.

A segunda orientação é quanto ao que fazer neste período. Esta vale para todos. Eu disse todos: desde o que possa estar surtado até aquele que tem certeza que passou. A partir da próxima semana, volte a estudar. Pense que aconteceu o pior e estude. Isto porque, se der caca, você já está estudando para a próxima prova em janeiro. Se acontecer o melhor (e vai acontecer), conhecimento nunca é demais. Evite estudar direito penal e direito processual penal, estude outros temas que não vê com freqüencia (civil, processo civil, trabalho, etc). Insisto seus doidos, rs, esta orientação não é para ninguém específico, mas para todos. Não vão sair por aí pensando: meu Deus, o Madeira me falou no blog que eu não passei, rs. De qualquer forma, relaxem até domingo.

Vamos às dúvidas:

Errou na peça uma palavra e riscou em cima: isto é comum acontecer. Nunca vi zerar a peça por isso.

Pediu nulidade depois da absolvição: não é a melhor técnica como dissemos no curso, mas talvez nem perca ponto ou, se perder, perde 0.2 a 0,5

Errou o inciso da absolvição: vale a mesma perda de pontos mencionada no tópico anterior.

Pediu nulidade ab initio mas fundamentou diferente: olha, neste caso, acho que pode passar até batido pelo corretor. Se a esposa dele dormiu de calça jeans, então ele vai tirar de 0,2 a 0,5 (esta é a variação normal por erro de tese/pedido).

Errou a data da peça: mesma perda de pontos de sempre.

Colocou o nome da sua cidade no local da prova: não acho que eles vão encanar com isso não. Confesso que nunca vi acontecer, mas não me parece que seja algo que dê identificação de peça. Mas, sou honesto, nunca soube de nenhum caso assim. Se você esta nesta situação, pelo amor de Deus, não se desespere. Pelo bom senso, não me parece caso para anular a prova não.

Correção da Paty: veja a correção da Paty no site do LFG: www.lfg.com.br

Agradecimentos: muitos tem me enviado emails agradecendo a mim e a toda equipe. Olha, sem fazer demagogia alguma, eu é que agradeço a oportunidade de poder fazer parte de um momento tão importante na sua vida. Isto não tem preço. A confiança depositada no nosso trabalho e o trabalho duro de todos combinado com sua aprovação são coisas que não tem preço.

Sobre as dúvidas de vocês

Pessoal,

seguem os comentários de vocês até agora e breves respostas sobre eles, para que eu possa ajudar a todos. Alguns comentários são repetidos pois as perguntas se repetem. Vamos lá:

1) Identificação da peça: Esta questão da identificação da peça é de difícil avaliação. Creio que, nos casos mencionados, não deve dar problema algum. Até hoje somente vi anulações envolvendo identificação quando o sujeito escreve o próprio nome na peça. Isto vale também para quem grifou o problema. Esclareço pois o texto ficou dúbio: grifou o texto da prova não deve haver problemas.

2) Falta de teses: como eram muitas teses, creio que a pontuação estará bem dividida. Neste caso, creio que a falta de cada uma delas poderia dar algo entre 0,2 a 0,4 por tese.

3) Inciso da absolvição: acho que o inciso I do 386 não teria problema. No entanto, acreditamos que esteja mais para o inciso III. O mesmo vale para o VI, segunda parte.

4) Outras teses: sem ter lido a prova, acho que caberiam outras teses: a) nulidade ab initio por denúncia genérica; b) pedido de oferta de suspensão condicional do processo; c) pedido de aplicação da atenuante. No entanto, acho que as mais importantes eram as mencionadas abaixo.

5) Endereçamento: até hoje eles não cobraram especificidades. A manter a tradição, não deve ser tirado ponto se vc colocou comarca ou circunscrição

6) Erro na data da peça: deve pender entre 0,2 a 0,4. Vai variar, mas normalmente é isto que eles tiram

É difícil tentar responder as dúvidas de todos. Por isto estou tentando aglutinar aqui para vocês. Espero que entendam e que isto seja de alguma valia para todos. Notem também que é difícil dizer se serão ou não aprovados e que, ensta hora, pouco importa a minha posição, pois a do examinador vale muito mais, rs.

Madeira