Sobre o tempo

Realmente, está ba bíblia e todas as religiões acabam tendo ensinamento semelhante: para tudo na vida há um tempo. Tempo de plantar e tempo de colher…

Há o tempo de esperar e o tempo de agir.

Para vocês, meus amigos, uma das melhores reflexões brasileiras sobre o tempo, basta clicar abaixo.

 

Anúncios

Minha primeira citação no STF

Hoje o dia foi realmente incrível. 24 audiências sendo realizadas e o Gus me liga. Diz para que eu entre na página do STF e veja um determinado acórdão. Ocorre que eu já tinha impresso este acórdão no começo da tarde, embora ainda não o tivesse lido.

E é justamente neste acórdão que eu sou citado, junto com ele, na sétima página. A surpresa é ainda maior, quando se pensa na admiração que todos sabem que tenho pelo Min. Celso de Mello, que já foi promotor na vara onde hoje atuo como juiz.

Embora possa parecer algo bobo, confesso que fiquei extremamente feliz com a citação. E é justamente por isso que gostaria de dividir este evendo com todos vocês. Afinal, como dissemos na abertura da obra do júri, o livro é dedicado a nossos alunos, que nos estimulam no caminhar diário da reflexão e da docência. Valeu mesmo.

A decisão você encontra aqui

Dicas para o recurso

Pessoal, não estou conseguindo responder um a um. Então, recortei o comentário de todos e embaixo de cada um vai minha dica. Boa sorte a todos.

     Madeira

 

  1. guilherme santos Disse:
    13/03/2009 às 15:48 editar

    Meu, não passei.
    Ainda não obtive acesso à minha prova (aliás, alguma notícia sobre quando e onde isso será disponibilizado?), porém sei que discordei quanto ao gabarito em relação à questão do 205 CP (fiz penal na segunda fase), afirmando que este não cabia, juntei jurisprudência e afirmei que o mais adequado , visto que a OAB não possui mais status de autarquia, seria a lei de contravenções penais. Ainda, na questão sobre prescrição afirmei que não cabia discussão de prescrição in abstrato por esta ser inútil ao caso, onde havia prescrição retroativa in concreto. Não coloquei as agravantes, porque sou uma toupeira e não LI O ENUNCIADO direito (eu achava que não se discutia agravantes em queixa-crime, apenas se apresentava os fatos e imputava, e portanto não toquei neste assunto, fiquei com cara de tacho quando me perguntaram das agravantes e eu afirmei categoricamente que não achava que agravantes deveriam ser discutidas em queixa-crime). Posso ter rasurado algumas partes da prova, será que perco muitos pontos por isso? Ainda, em queixa-crime, não me lembro se me referi à vítima como vítima ou querelante. possivelmente usei ambas em situações diversas. O Curso LFG fornece algum tipo de assessoria para o recurso?
    Muito obrigado desde já pela ajuda, Madeira. Se necessário, na próxima prova eu me lembrarei de ouvir os professores melhor e fazer mais o arroz com feijão ¬¬

  2. Resposta do Madeira: com relação ao artigo 205 rebata com a posição do Delmanto e de toda a jurisprudência. Quanto à peça, como já disse, tente demonstrar a incoerência da correção com o quanto você apresentou.

  3. professor…havera algum plantao no prima pra que voces possam nos ajudar nos recursos??eu acertei a peça e as questoes tambem. somente a do advogado e a da prescricao nao estavam totalmente corretas. obrigada

  4. Resposta do Madeira: Há plantão. Tem que levar sua prova lá no curso.

  5. Oi, professor não foi dessa vez, quando saiu o gabarito achei que tinha ido bem, mas não foi o que aconteceu.
    Vou tentar o recurso quem sabe.

    Tchau e Obrigada

  6. Resposta do Madeira: Boa sorte. Estou rezando por você.

  7. Luiz Fernando Disse:
    13/03/2009 às 19:43 editar

    Obrigado pelas palavras professor, o senhor como sempre muito gentil!! Vou fazer o recurso na segunda feira, gostaria apenas de saber se existe chance pois eu fiz mandado se segurança..obrigado

  8. Luiz Fernando Disse:
    13/03/2009 às 19:44 editar

    fiz o ponto 1…ogrigado

  9. Resposta do Madeira: Tem que tentar, pois e sempre demonstrar no recurso eventual incoerência na correção da peça com os critérios apresentados.

  10. Obrigado pelas palavras e é isso aí levamos apenas um golpe mais o round não acabou e seguiremos lutando sempre.
    Minha dúvida é com relação à questão que diz respeito ao advogado, ou seja , ele pratica crime definido no CP ou em lei especial?
    Grande abraço.
    Fique com Deus, sempre!

  11. Resposta do Madeira: Ele pratica a contravenção, mas o gabarito está equivocado (com todo o respeito).

  12. Anderson Miranda Disse:
    14/03/2009 às 01:08 editar

  13. Olá professor, tudo bem?

    Fiz o ponto sobre queixa-crime e acertei a peça. Os erros que me lembro de ter cometido foram os seguintes: não ter colocado a qualificadora da idade e não endereçar pra 3ª Criminal, pois achei que não era preventa. Além disso, não usei a expressão “seja recebida” e sim “seja processada” quando fiz o pedido. No mais fiz tudo dento do esperado. Falei da hediondez da conduta, mesmo sendo 213 “caput”, e juntei jurisprudência do STF nesse sentido. Coloquei também a reincidência (61,I,CP). Nas questões acertei no mínimo as três primeiras, pois estas fundamentei exatamente como as do gabarito. Ainda não entendo o que houve. Muita gente disse ter feito uma peça muito esquisita e passou. E tô com medo de não conseguir com o recurso, pois nem sei como fazê-lo. Qual o primeiro passo? Abraços. Anderson

  14. Resposta do Madeira: No recurso o caminho é sempre dmeonstrar as incoerências da correção com o que você fez na peça.

  15. Emerson Bueno Disse:
    14/03/2009 às 16:12 editar

    Prof: Guilherme Madeira;
    Fiz o recurso em sentido estrito, fiz perfeitamente a interposição, com a observação do juízo de retratação, nas razões, fiz a introdução que é de praxe, fiz a descrição fática, de maneira lógica, e bem coerente, no direito, fiz menção que o réu agiu em legítima defesa, mencionei o art. 25 do CP, falei que não era caso de qualificadouras, citando inclusive, vasta jurisprudencia, e doutrina, que dizia que a situação em tela, não caracterizava as qualificadoras. No pedido, por eu ter me empolgado um pouco, e por conta disso me excedido acabou faltando espaço, para que eu pudesse, fazer um pedido, de acordo com o direito, ou seja, só pedi a absolvição, não a desclassificação das qualificadoras.
    No momento, em que eu fui fazer o pedido, havia pouco mais de três linhas, por conta disso, tive que ser o mais sintético possível,não mencionando inclusive o advogado, local (fecho final) isso, que me deixou mais chateado, pois eu sabia perfeitamente as teses, e os pedidos.
    Com relação as questões, não ao ver ver, errei a que se referia ao crime cometido pelo advogado. art 205 do CP, sendo que respondi, que se tratava de contravenção penal.

  16. Resposta do Madeira: Você não zerou na peça, tente extrair pontos dos equívocos da correção. Note que a folha de correção indica os critérios e a pontuação – explore as falhas da correção.

  17. Olá.
    Parabéns pelas suas aulas, aprendi muito com você. Adoro quando dá aula, tanto pelos seus conhecimentos, como pela suas brincadeiras.
    Infelizmente não passei, pela segunda vez, na 2ª fase.
    No meu esqueleto coloquei Revogação, mas não confiei em mim, e como um pessoal ao meu lado estava assoprando Liberdade, achei que estava caindo na pegadinha da Oab, e fiz liberdade.
    Vamos as dúvidas, espero que possa me ajudar, pois confio muito em você.
    1. Endereçamento: enviei para a Justiça Estadual, mas fundamentei na peça que era necessário um perito para avliar as notas.
    2. Pedido: pedi alvará de soltura.
    Por favor, me ajude, o que deveria alegar no meu recurso nos casos apresentados acima?
    Força e fé. Que DEUS ilumine a todos nós.
    Abraços. Espero resposta anciosa.

  18. Resposta do Madeira: =O fato de ter pedido liberdade provisória te faz perder um ou outro ponto. Nada mais do que isso. Precisa explorar as contradições do corretor e a nota dada a sua peça. Seja objetiva. Boa sorte.

  19. oi, professor preciso de ajuda para o recurso(problema 2)
    perdi ponto quando nao falei que a palavra da ofendida e indiscutivelmente relevante e no domínio do raciocínio jurídico.O que posso alegar.
    Outra pergunda eles podem arredondar a minha nota pra menos.
    Obrigada

  20. Resposta do Madeira: Alegue que isso não é matéria para se colocar na queixa crime mas, tão somente, no pedido de condenação.

  21. Fernanda Jorge Disse:
    16/03/2009 às 17:12 editar

    Caro, Professor.
    Preciso fazer o recurso mas não sei nem como começar.
    Como devo fazer?
    Gostaria de saber se tem algum e-mail para poder entrar em contato com o Sr.
    Desde já agradeço sua atenção.

  22. Resposta do Madeira: Seja objetiva na resposta e explore as contradições entre a nota dada e sua prova. Este é o caminho melhor para o êxito no recurso. Boa sorte.

Para quem não passou

Em primeiro lugar, comente aqui sobre suas dúvidas para que eu tente responder até segunda feira.

Em segundo lugar, tenha a plena convicção de que uma prova não mede quem você é, seja como jurista, seja como pessoa. Assim, não permmita que um pequeno teste defina toda a sua vida e, especialmente, quem você é. Você é muito maior, mas muito maior mesmo do que isso.

Força é fé irmão, amor pro que der e vier.