Prova de São Paulo – Dicas

Caros amigos,

 

como já disse para os alunos do curso presencial, meu feeling para a prova é que cairá uma peça de júri, mais especificamente RESE de pronúncia com duas teses.

A primeira, envolvendo o chamado “excesso de motivação” da pronúncia, também chamado de “eloqüencia acusatória” pelo Min. Sepúlveda Pertence. Não pode o magistrado se exceder na linguagem da pronúncia para que não cause qualquer forma de influência indevida no ânimo dos jurados.

 

Assim, pelo meu feeling, na peça cairia algo como o magistrado dizendo que os acusados são criminosos frios, sanguinários e que as teses de defesa eram impossíveis. Aqui estaria a nulidade.

 

A segunda tese envolveria impronúncia ou absolvição sumária.

 

Lembre-se que você deve pedir a nulidade em primeiro lugar e a impronúncia ou a absolvição sumária em segundo lugar.

O pedido seria mais ou menos assim:

Ante o exposto, requer seja conhecido e provido o presente recurso, anulando-se o processo a partir da pronúncia ou, caso não seja este o entendimento, que seja impronunciado nos termos do artigo ____ do Código de Processo Penal (não coloquei o artigo pois estou sem código aqui).

 

No mais, lembre-se de que uma prova não avalia seu valor. Coloque a prova em seu devido lugar: vc é muito mais importante do que ela e, lembre-se, como eu sempre digo: a prova da OAB não é constitutiva, ela é declaratória: vcs já são advogados, basta apenas que alguém declare isso.

 

E, por fim, como sempre digo: força e fé, amor pro que der e vier.

Anúncios

Súmula vinculante 14

É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo e irrestrito aos elementos de prova que, já documentados em procedimento investigatório, realizado por órgão de competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.”

 

Acima segue o texto da Súmula Vinculante 14. Chega a ser lamentável que em um Estado Democrático de Direito haja necessidade de uma súmula com tal teor. Desde 1988, para ficar na história recente, há direito de se dar vista dos autos do procedimento investigatório para a defesa.

No entanto, graças a alguns iluminados, o STF se viu obrigado a editar tal súmula. A estes iluminados, fica o nosso muito obrigado.

Mensagem que valeu um post

Quem sabe um comentário de quem já passou por isto ajude, Sou especialista em Tributário pela UFSC e quando optei por Penal na minha prova prática, foi um verdadeiro choque para os meus amigos. Eu sempre gostei de Penal(mas tinha receio do novo) Ao começar o cursinho no LFG eu pensava “Porque que eu não escolhi Tributário??” E toda vez que o professor Madeira falava nas aulas calma é só o começo é normal” eu pensava ” Ai ai ai ele não me conhece,Se ele soubesse talvez falasse: maluca, era p/ ti fazer Tributário, Mas, ele que esteja certo meu Deus” Eu ria de nervosa nas aulas quando ele falava isto
Aos poucos fui aprendendo, adorando e mandava perguntas p/ ele (não exagerem) hahaha.
E hoje, com a ajuda da equipe de Penal, do incentivo do Professor Madeira, que em todas as aulas brincava “é nóix mano” estou advogando.
Antes de começar a prova eu pensei ” agora é nóix mano, Eu, a torcida do Madeira e o examinador com seu coração peludo(comentário do prof Mazza) e essa brincadeira me fez “respirar” antes de começar
Não deixem de fazer os exercícios!
Vocês estão nas mãos da melhor equipe, sem dúvidas
Gostei tanto que agora em 2009 retorno para a pós em Ciências Penais!
E mais uma vez Obrigada professor!!! Que o senhor tenha muito sucesso e muitas alegrias!
Um beijo!

 

Comentário do Madeira

Valeu mesmo. Estes comentários somente reforçam nosso desejo de dar a vocês o melhor curso possível. Abração

Força Galera – Minas, São Paulo, Brasil

Pessoal, imagino como todos devam estar ansiosos e preocupados, cada um a sua maneira.

Amigos mineiros, tenham a confiança que nós os preparamos para o pior, e isto os tornou melhores para superar as questões que venham a ser cobradas nesta prova que se aproxima.

Amigos do Brasil, amigos de São Paulo, o curso de vocês ainda está no começo e é absolutamente normal que se sintam desesperados. Os amigos mineiros já passaram por isso: no começo do curso você para e pensa: meu deus do céu. Deveria ter feito outra coisa!

No entanto, este sentimento é absolutamente normal e tenham confiança que, no decorrer do curso, vocês irão adquirir a necessária técnica para enfrentar os problemas que possam surgir.

Fica aqui a dica para Minas: calma e confiança em você. Pense no início de seu curso e pense que, hoje, vc é capaz de fazer um ROC e nem imaginava o que era isso (embora meu feeling ainda aponte para alguma peça de júri).

Para os demais amigos, fiquem firmes, o caminho é longo e vcs chegarão lá. Tenham fé.

Segue abaixo link para algo que eu adoro de coração: quando estou triste, ouço e fico feliz. Quando estou feliz, ouço e fico ainda mais feliz.

 

 

 

Orientação CESPE Nacional

Pessoal, muitos têm me escrito sobre o que fazer ante a pontuação: 47, 48 pontos.

O nornal é que eles anulem entre 1 a 3 questões. Isso é o padrão que se observa em provas.

Com 48 pontos eu acho que é prudente que se faça a segunda fase.

Com 47 pontos a chance é menor de ir para a segunda fase, e cabe a você, individualmente, de maneira criteriosa tomar sua decisão.

E, para quem se encontra nesta situação, sei que a frustração é grande e o sentimento de derrota é inenarrável. Mas, meu irmão, não acredite que uma prova é suficiente para lhe definir, seja como pessoa, seja como conhecedor do direito. Nós somos muito maiores do que isso.

Tenha fé, sempre.

E, como digo, força e fé, amor pro que der e vier.